Manual do CTO

O custo da oportunidade

Sempre há mais ideias interessantes do que tempo e outros recursos para executá-las. Recursos alocados em uma iniciativa sempre poderiam ser aproveitados em outras que, talvez, poderiam gerar mais retorno econômico ou social. Esses ganhos renunciados são identificados como “custo da oportunidade”.

O custo da oportunidade nasce na delicada relação entre a escassez e a escolha. Ou seja, por termos recursos escassos somos obrigados a escolher o que fazer e, principalmente, o que não fazer.

Todo projeto iniciado implica em outros adiados ou interrompidos. Sempre que investimos em uma tecnologia, desenvolvendo o time e fazendo as aquisições necessárias, deixamos de investir em outras. Toda vez que optamos por suportar um processo de negócio, abandonamos ou adiamos o suporte a outros. Ao optar por adicionar features em um produto, optamos por não atender as expectativas de uma parcela dos nossos clientes.

As oportunidades escolhidas e as renunciadas estão, sempre, em conformidade com a estratégia da organização. Não aquela expressada no planejamento, mas, sim, nos critérios que orientam as decisões do dia a dia. Critérios de seleção ruins, como aqueles que tentam “manter a roda girando”, fazem com que times e recursos sejam alocados em atividades sem, muitas vezes, considerar o valor adicionado e impedindo atuação em outras com mais significado.

De todos os recursos mal aproveitados, talvez, o mais negligenciado seja o tempo – um dos poucos que não podem ser armazenados. Para tentar “recuperar” o tempo, as empresas compram o tempo das pessoas. Por isso, o descuido com o custo da oportunidade tem contornos de crueldade.

É papel do CTO conhecer, além do que está sendo feito, o que está sendo deixado de lado. Por sua responsabilidade estratégica, cabe a ele conhecer não apenas o custo do que está em operação mas, principalmente, os benefícios de que se abriu mão.

NOTA: Enquanto eu escrevia este post, meu filho mais novo teve uma ideia: Eu poderia parar, só um pouquinho, para poder empurrar seu balanço.

O custo da oportunidade é ainda mais brutal quando projetado para a vida pessoal das pessoas sempre em conflito com o profissional.

Toda escolha é uma renúncia!

Em Resumo
  • O problema

    Sempre há mais ideias interessantes do que tempo e outros recursos para executá-las. A escolha por uma iniciativa acaba sempre implicando na renúncia dos ganhos de outras. Assim, nasce o “custo da oportunidade”
  • O insight

    Os “custos da oportunidade” deveriam ser tratados de forma metódica. Cabe ao CTO garantir a existência do método de forma alinhada com a estratégia.
  • Os benefícios

    Toda escolha é uma renúncia. É importante que as empresas (e as pessoas) renunciem de forma consciente sempre visando maximizar a produtividade.

Elemar Júnior

Microsoft Regional Director e Microsoft MVP. Atua, há mais de duas décadas, desenvolvendo software e negócios digitais de classe mundial. Teve o privilégio de ajudar a mudar a forma como o Brasil vende, projeta e produz móveis através de software. Hoje, seus interesses técnicos são arquiteturas escaláveis. bancos de dados e ferramentas de integração. Além disso, é fascinado por estratégia e organizações exponenciais.

Talvez você goste também

Carregando posts…

Mais posts da série Manual do CTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *