O assustadoramente crível “Princípio da Incompetência de Peter”

Os “Drops da EximiaCo” estão disponíveis em algumas das principais plataformas de podcast, incluindo iTunesSpotifyDeezer! Caso seu player não tenha suporte a nenhuma dessas plataformas, poderá usar nosso feed.


Em uma estrutura hierárquica saudável, o reconhecimento de um trabalho bem feito, geralmente, vem na forma de uma “promoção”. Eventualmente, depois de sucessivos reconhecimentos, mesmo as pessoas que já foram excelentes são condenadas promovidas a uma posição onde, finalmente, atingem seu “nível de incompetência”.

Em uma hierarquia, todo funcionário tende a ser promovido até atingir seu nível de incompetência.

Esse é o Princípio de Peter, formulado por Lawrence J. Peter, e publicado em livro homônimo escrito em parceria com Raymond Hull, em 1969 (há cinquenta anos).

Em uma hierarquia, o trabalho é realizado por aqueles funcionários que *ainda* não atingiram seu nível de incompetência.

Curiosamente, o livro foi escrito como sátira para livros de negócio. Ele apresenta resultados de pesquisas que nunca ocorreram para sustentar seus argumentos e conclusões. Mesmo assim, é empiricamente relevante. No livro, Peter discorre sobre uma ciência fictícia, a “hierarquiologia”, para destilar suas críticas ao jogo corporativo.

Segundo o “princípio”, uma vez promovida ao “nível de incompetência”, a pessoa dificilmente será demitida ou mesmo substituída – apenas ficará “estagnada”. Isso acontece porque o “sistema se protege” e, em consequência disso, apenas os muito incompetentes ou, no outro extremo, os muito competentes não resistem.

As justificativas encontradas para a “manutenção dos incompetentes” são três:

  1. Demonstram aparente comprometimento com a empresa. Não raro são os primeiros a chegar e os últimos a ir embora;
  2. Acumulam anos de conhecimento e expertise sobre a companhia obtidos nos anos em que ainda ocupavam cargos da época em que ainda eram úteis competentes;
  3. São “gerenciados” por gente que também atingiu seu “nível de incompetência”.

Pessoas que foram promovidas ao seu “nível de incompetência” geralmente são “contornadas” por aqueles que ainda se empenham em fazer o trabalho acontecer.

Embora o princípio tenha inspirado vários trabalhos sérios, ainda não foi comprovado. Entretanto, inspira uma boa reflexão e um alerta. Há quanto tempo você, amigo leitor, não é promovido?

Em Resumo
  • O insight

    Em uma estrutura hierárquica, as pessoas são promovidas até atingir seu “nível de incompetência”. O trabalho acontece “apesar” disso por aqueles que ainda não chegaram nesse ponto. Esse é o argumento do “Princípio de Peter”
  • As implicações

    Se o princípio for verdadeiro, as empresas “carregam peso” da incompetência, geralmente, nos níveis de gestão. Esse “peso” é ineficiência disfarçada.
  • A reflexão

    O princípio não foi demonstrado. Mas, por ser “aparentemente verdadeiro” tem gerado estudos sérios. Será esse o caso da sua empresa? A quanto tempo você não recebe uma promoção?

Elemar Júnior

Microsoft Regional Director e Microsoft MVP. Atua, há mais de duas décadas, desenvolvendo software e negócios digitais de classe mundial. Teve o privilégio de ajudar a mudar a forma como o Brasil vende, projeta e produz móveis através de software. Hoje, seus interesses técnicos são arquiteturas escaláveis. bancos de dados e ferramentas de integração. Além disso, é fascinado por estratégia e organizações exponenciais.

Talvez você goste também

Carregando posts…
1 comentário
  1. DANIEL MOREIRA YOKOYAMA

    Intrigante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *