Velocity

Não basta ser rápido. É necessário ir na direção certa!

Nesta publicação, apresentamos nosso entendimento sobre Velocity. Trata-se de um documento vivo que será atualizado na medida que conseguirmos aprimorar nosso posicionamento ou achar formas melhores de apresentar nossas ideias.

O que é Velocity?

Trata-se de uma métrica, geralmente associada a metodologias ágeis, que mede a quantidade de entregas, aderentes ao negócio, que um time de tecnologia consegue realizar em um determinado intervalo de tempo. Quanto mais alta for essa medida, maior a produtividade.

A diferença entre Velocity Speed é que, enquanto Speed trata de quanto rápido algo acontece, Velocity considera também a direção.

Na EximiaCo, acreditamos que o caminho para melhorar o Velocity de uma empresa está, além do time, na capacidade de adotar tecnologias potencializadoras, metodologias adequadas e o estilo correto de gestão e liderança.

Por que é importante?

O aumento da capacidade de processamento dos sistemas modernos, cada vez mais conectados, associado com a forte redução dos custos de armazenamento e com consumidores cada vez mais sociais, impactou a competição de forma definitiva. Hoje, a competição acontece entre ecossistemas e é determinada pelo nível de intimidade que cada empresa consegue estabelecer com os clientes.

Nesse contexto, a capacidade de mudança, que já foi apontada por Jack Welch como “oxigênio para o crescimento”, é, cada vez mais, imperativo para a sobrevivência.

Mudar rápido não é suficiente. É preciso mudar certo! Em termos práticos, times de tecnologia precisam ter condições de entregar mais features, em menos tempo, na direção apropriada.

O papel da tecnologia para melhorar o Velocity

As demandas para times de tecnologia são cada vez mais frequentes, maiores e mais complexas. Essa escalada ocorre mais rápido do que a capacidade de crescimento dos times e de suas qualificações.

A capacidade de entregar mais valor, atualmente, está fortemente apoiada nas inovações tecnológicas. A nuvem e seus serviços, ferramentas mais modernas de desenvolvimento, plataformas mais poderosas para processamento e análise de dados, etc, combinadas a capacidade de aplicação correta por parte dos times tem compensado as limitações aparentes.

Além disso, tem ficado cada vez mais evidente a relação a forma como a organização dos times é impactada pela forma como os sistemas são estruturados e vice-versa.

O papel das metodologias ágeis para melhorar o Velocity

Na EximiaCo, acreditamos que agilidade é fundamental para fazer as coisas do jeito certo, no tempo certo, atendendo os objetivos certos. Somos ferrenhos defensores de Kanban como prática.

Acreditamos que o alinhamento é fundamental para que a autonomia seja possível. Sem autonomia, não há Velocity!

O papel da gestão e da liderança para melhorar o Velocity

O gestor moderno tem três responsabilidades: garantir que exista um modelo de trabalho definido; garantir que esse método esteja sendo seguido; garantir que existam pessoas, quantidade suficiente, capacitadas para executar o método.

Ao líder, cabe a responsabilidade de ajudar o time a “bater metas”, com o time, fazendo a coisa certa.

Fazer as coisas certas, de maneira eficiente, atendendo (ou superando) as expectativas são os objetivos da boa gestão e da boa liderança. Se elas forem bem sucedidas, o Velocity será bom.

Em Resumo
  • O problema

    Empresas precisam mudar rápido e certo para sobreviver e prosperar. A demanda pela mudança e pela assertividade é crescente e, aparentemente, continuará nessa progressão.
  • O insight

    O caminho para melhorar o Velocity passa, obrigatoriamente, pela capacidade de aproveitar as inovações tecnológicas, combinada com metodologias ágeis e com práticas assertivas de gestão e liderança.
  • Os benefícios

    Empresas que entregam valor com frequência maior conseguem experimentar mais e, por isso, serem mais competitivas. Além disso, se habilitam para geração de valor novo.

Elemar Júnior

Microsoft Regional Director e Microsoft MVP. Atua, há mais de duas décadas, desenvolvendo software e negócios digitais de classe mundial. Teve o privilégio de ajudar a mudar a forma como o Brasil vende, projeta e produz móveis através de software. Hoje, seus interesses técnicos são arquiteturas escaláveis. bancos de dados e ferramentas de integração. Além disso, é fascinado por estratégia e organizações exponenciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *